sexta-feira, 24 de abril de 2015

GÊNESE DAS DOENÇAS E DA CURA


                                     
                                                                              Por Sâr Michael, Grão Mestre da OM&S

Adão Kadmon
Pro salute populi. Cura coletiva. Adão Kadmon, o Homem Arquetípico Primordial tinha saúde perfeita enquanto era uno com o Pai. Com a queda, fragmentou-se em Adão Protoplasta (o principio das Almas Diferenciadas). Nesse momento, a doença coletiva se originou. Prosseguindo a queda, surgiu o Adão Belial (o Adão dos Cascões,) ser encarnado, com um corpo perecível. Recompor o Adão ao seu estado primordial é o papel da iniciação. Isso e feito trabalhando sobre si mesmo de modo a cultivar as virtudes e gerando, gradativamente a cura. Uma cadeia coletiva de cura é o coração do Adão em movimento. Esse movimento provoca o desejo que imanta o órgão e atrai as demais partes de seu corpo místico. Essa atração regenera os órgãos e origina o germe da vida Eterna. Esse germe atrai a essência Cristica e diviniza o ser, livrando o de todo mal. Quando a centelha divina desce no corpo, realizam-se as bodas místicas do cordeiro, nasce o principio Cristico, todo o ser se cura e as partículas individuais se fundem e, em estado de saúde perfeita, louvam o Eterno.

Aqueles que, praticando a virtude, cultivando um rigoroso estudo de si mesmo, colocam a pratica da caridade, na forma como ensinada pelo apostolo Paulo em primeiro lugar, regeneram seu ser, tornam-se puros, podendo, portanto "Ver a Deus face a face".

Adão Belial
Nesse estado sublime de alma e de consciência, eles adquirem a virtude da comunhão, pois habitam na luz e tornam realidade as palavras do Evangelho: "se estivermos na luz como Ele esta, temos comunhão uns com os outros e o sangue de Cristo nos purifica de todo mal." Esses seres sublimes, encarnados e desencarnados, representam órgãos purificados do Adão Protoplasta, a denominada "Comunhão ou Assembléia dos santos" ou a Atqa Qadisha de que fala o Zohar. Esses seres abençoados tem um sinal característico: seus corpos (para os encarnados)ou sua manifestação (para os desencarnados) exalam a fragrância da rosa. Eles são como Jesus, o Cristo: "Eu sou a Rosa de Sharom,o Lírio dos Vales". Assim como Cristo, seu Mestre absoluto, eles "curam os enfermos e exorcizam os demônios". Esses dons, advindos de sua pureza que lhes da o apanágio de "ver a Deus"' por similitude, lhes permitem ver, na natureza e no homem, a presença dos Anjos e dos Demônios e operar sobre eles. Esses são os Eleitos, os Adeptos Rosacruzes, Magos, Teurgos, Taumaturgos e Alquimistas. Sua escola é a Rosacruz Kabalista. Ad Rosam Per Crucen. Ad Crucen Per Rosam.

Seu local de reunião, oração e trabalho é o Colégio do Espirito Santo. Esse colégio invisível está a disposição dos doentes e sofredores e, mediante a ação de Elias Artista, derrama suas energias curativas sobre os doentes, revivendo- os e curando-os. In Deo Nascimur, In Jesus Morrimur, In Spiritu Sanctum Reviviscimur.

A aridez ou secura é analogicamente comparável a jejuar no deserto. O calor diurno é insuportável, o corpo perde água, a boca e a pele secam, os sentidos se entorpecem. Ao aceitar esse estado, o sensorium interior de que fala Saint Martin se amplifica e começa a tomar conta do corpo. Sabemos que só ficamos vivos pela Graça de Deus.

Assim tomamos consciência do que significa a água da vida de que fala o Cristo. A aridez ou secura gera a sede, a sede gera o desejo da água. O desejo da água da vida leva ao desejo da comunhão com Cristo. Esse desejo regenera o ser. Quando Deus manda a água da vida e a bebemos, nos tornamos um com o Pai. Aí experimentamos a reintegração no seio do Divino. Concluindo, a aridez é como o Elixir da Juventude, pois nos leva a experimentar as três etapas da cura teurgica: Homem de Desejo, Novo Homem e Homem Espirito.

Adão  Kadmon (andrógeno)
Aridez se manifesta na mente através da meditação. Ela e a ausência total de pensamentos. Quando, na meditação conquistamos esse estado, nossa consciência penetra na imensidão do inconsciente nos permitindo obter a transmutação alquímica de nosso ser na medida em que tomamos consciência dos órgãos arquetípicos do Adão Primordial, nosso primeiro Pai. Nesse momento atemporal, a perfeição dos órgãos do Adão Kadmon, age por similitude e nos transfere a matriz da saúde perfeita, energizando nosso ser com a água da vida e o sangue de Cristo. Com isso, pela virtude da Graça, nosso corpo carnal se transforma no Corpo de Cristo. A semelhança do primeiro Adão que era pensativo e pensante, podemos, então, ler diretamente a mente do Pai Celestial. Aí manifesta se em nosso ser a aridez anímica, representada pela ausência do desejo de concupiscência. Esse estado nos faz abdicar da vontade humana e aceitar a vontade do Pai. A Graça Divina se manifesta em nós e nos tornamos, verdadeiramente eleitos. Seja feita a Tua vontade! Non Nobis, Non Nobis Domini ...

Deixando o Cristo agir em nossa cura....

Ao realizar os pedidos de cura deve-se iniciar a pratica da meditação, tornando-se receptivos as emanações curativas provenientes das correntes terapêuticas emanadas do Templo Interior. Ao deitar, meditar nos corpos de Cristo, o Corpo doloroso e em seguida, o Corpo Glorioso. Ao meditar sobre o Corpo Doloroso, conscientizar-se da dor de Cristo na Via Crucis, absorver em si uma partícula da dor de Cristo. Conscientizar-se que sua doença é parte da doença da humanidade que foi libertada por Cristo. Essa meditação poderosa, desencadeara estados emocionais de arrependimento e penitencia. Entregar-se a esses estados para purgar a doença. Em seguida, sentir a energia de cura entrando em seu ser proveniente do Cristo Glorioso. Sentir a leveza e a libertação da doença chegando em ti. Agradecer ao Pai Celestial e praticar a compaixão por seu semelhante.

_______________________________________________________________
      

Nenhum comentário: